[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]

Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

País quer abrir portos para companhias estrangeiras

O Brasil promete para breve a abertura dos portos a investidores estrangeiros. A promessa deve ser feita durante a visita que o vice-presidente Michel Temer inicia hoje a Portugal e Espanha e que inclui encontros de negócios e fóruns empresariais.
Edinho Araújo, ministro da Secretaria Nacional de Portos e um dos integrantes da delegação, diz que o mais relevante agora é o plano de fazer concessões para dragagem dos portos, abrindo o segmento para empresas estrangeiras também.
“Isso envolverá bilhões de dólares, porque é algo recorrente”, disse o ministro. “A profundidade natural do porto de Santos é de 8 metros, mas precisa estar no mínimo em 15 metros.” Atualmente, disse Araújo, a dragagem é feita pela Companhia Docas ou pela Secretaria de Portos. Com a licitação, serão empresas privadas, inclusive estrangeiras.
Segundo o ministro, a demonstração do interesse dos investidores na licitação foi a participação, na consulta pública, de 158 empresários do Brasil e do exterior, no começo do mês em São Paulo. Araújo espera que em 15 dias saia o resultado da consulta junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), o que permitirá deflagrar também a licitação para arrendamentos de áreas portuárias.
Atualmente, há mais de 34 portos públicos e mais de 100 portos privados, e serão cobertos pelas licitações para os arrendamentos. No caso de terminais privados, deverá ser autorizada a recepção de cargas de terceiros.
Em Lisboa, o vice-¬presidente Temer se reunirá com o presidente Aníbal Cavaco Silva, com o primeiro¬ministro Pedro Passos Coelho, e com o vice-¬primeiro-ministro português, Paulo Portas. Segundo a assessoria de Temer, o governo português demonstra interesse na aquisição do KC¬390, o novo modelo de avião cargueiro da Embraer. Também continua na pauta a possível participação de empresas brasileiras na privatização da TAP, companhia aérea portuguesa.
Na Espanha, Temer terá audiências com o rei Felipe, com o presidente do governo espanhol Mariano Rajoy, e com outros membros do governo. Empresas espanholas sinalizam interesse em investir nas áreas de transporte marítimo, aviação civil, exploração do pré¬-sal, projetos relativos à Olimpíada do Rio e ao Programa de Investimentos em Logística. Enquanto o Brasil aperta os cintos, Portugal e Espanha estão saindo gradualmente de uma das piores crises econômicas dos últimos tempos.

Autor: Assis Moreira
Fonte: Valor Econômico
Retirado de: Brazil Pharma Solutions

COMENTÁRIOS

REDES SOCIAIS_