[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]

Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

Shale gas: novas oportunidades para a China

Postado por NEITEC em 04/Fev/2014


A China possui reservas de shale gas espalhadas por praticamente todo o território do país, com um valor estimado em cerca de 1.275 trilhões de pés cúbicos. Possuindo aproximadamente 25% mais reservas do que os Estados Unidos, é possível que a China passe por uma revolução energética ainda maior do que a atual dos Estados Unidos.

O cenário do shale gas está em seus primeiros anos, a produção atual é praticamente nula, porém há perspectivas de um futuro promissor. Empresas como a Shell anunciaram estarem satisfeitas com os resultados exploratórios, na bacia de Sichuan.

A China possui um plano de desenvolvimento do shale gas, criado em 2011, que estabeleceu como meta 6,5 bilhões de metros cúbicos até o final de 2015. O plano não inclui apenas exploração e produção, mas também transporte e infraestrutura. Porém, a rede de gasodutos chinesa é insuficiente para transportar tais quantidades de gás e o relevo chinês torna ainda mais difícil a instalação de quaisquer tubulações, o que exigirá grandes investimentos. Outro problema encontrado é a falta de abastecimento de água, pois o fracking hidráulico, técnica de extração de shale gas, exige grandes quantidades de água, sendo necessário obras que possam garantir o fornecimento de água ininterrupto aos poços.

As reservas de shale gas na China podem ser divididas principalmente em quatro regiões: norte, sul, noroeste e nordeste. Há Shale Gas em oito bacias: Songliao, Bohaiwan, NorthChina, Sichuan, Ordos, Tuha, Tarim e Zhungaer. Dessas bacias, apenas três são depósitos marinhos (NorthChina, Sichuan e Tarim), os cinco depósitos restantes são continentais. As maiores reservas de shale gas tem sido encontradas principalmente nas bacias de Sichuan e Tarim.

Fonte: MAXIQUIM – www.maxiquim.com.br

COMENTÁRIOS

REDES SOCIAIS_