[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]

Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

Anellotech mais próxima da produção de PET de origem renovável

Postado por NEITEC em 01/Jul/2016


A Anellotech pretende desenvolver uma instalação para produção de paraxileno derivado de biomassa não alimentar e futuramente para produção de PET derivado de fontes renováveis.

A canadense Zeton Inc. é responsável pelo desenvolvimento da planta piloto e está trabalhando na implementação de uma unidade localizada no Texas, em uma instalação petroquímica da South Hampton Resources Inc., um segmento de capita aberto da Trecora Resources. Um silo de mais de 30 metros de altura entrou em operação em janeiro.

O objetivo é começar com resíduos agrícolas ou madeira e obter um produto compatível com o reator. Johnson Matthey é a empresa parceira no desenvolvimento do catalisador. Anellotech vislumbra a possibilidade de se tornar uma pioneira na produção em larga escala até o final da década.

A empresa japonesa de bebidas Suntory Holdings Ltd. e outra empresa não identificada são os principais investidores. A produtora de cervejas e destilados Suntory investiu mais de US$ 15 milhões no projeto.

A francesa Axens SA, um empreendimento do IFP Group Technologies, tem a licença global exclusiva para comercialização da tecnologia. A IFP Énergies nouvelles é parceira da Anellotech para o desenvolvimento de processo e scale-up da tecnologia de conversão de biomassa denominada Bio-CTAT.

Segundo as empresas, os produtos químicos produzidos a partir deste processo são idênticos aos produzidos por rotas tradicionais e estão diretamente ligados a um mercado de US$100 bilhões.

Fonte: MaxiQuim

COMENTÁRIOS

REDES SOCIAIS_