[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]

Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

Axens, Total e IFPEN lançam tecnologia para produção de eteno derivado do etanol

Axens, Total e IFP Energies Nouvelles (IFPEN) lançam Atol™, uma tecnologia para produção de eteno derivado de fonte renovável.

A tecnologia Atol foi desenvolvida para a produção rentável de eteno, por desidratação de etanol de 1ª e 2ª geração. O processo pode ser totalmente integrado com a produção de etanol e a conversão do eteno produzido, que pode ser utilizado em instalações de polimerização existentes, como de PE, PS, PET e PVC, sem necessidade de modificações.

Total e IFPEN são os coproprietários da tecnologia e Axens é a responsável pela comercialização de Atol, fornecendo todos os serviços de licenciamento relacionados com processos e fabricação de catalisador.

Segundo os parceiros, a tecnologia Atol tem menor investimento por purificação do produto simplificada, provocada pelo desempenho do catalisador com alta atividade e seletividade para eteno e pode suportar variações na qualidade de matéria-prima. O processo de desidratação de etanol em eteno é altamente integrado, reduzindo os custos operacionais e é economicamente viável quando comparado ao processo tradicional.

Segundo as empresas, esta tecnologia eficiente e competitiva será capaz de atender a crescente demanda por plásticos derivados de matérias-primas renováveis. Atualmente, cerca de 99% do eteno é produzido por craqueamento da nafta. O eteno é uma das matérias-primas mais importantes na indústria petroquímica; a produção de eteno tem sido considerada como um dos indicadores para medir o nível de desenvolvimento petroquímico de países de todo o mundo. O desenvolvimento e a utilização de matérias-primas renováveis para a produção de eteno têm atraído atenção de diversos países.

A parceria entre a Total, IFPEN e Axens começou em 2011. Dentro desta cooperação, a Total desenvolveu uma formulação do catalisador de alto desempenho em seu Centro de pesquisa em Feluy, Bélgica; IFPEN ampliou o desempenho do catalisador dentro de um processo inovador de recuperação de calor; enquanto Axens industrializou a formulação do catalisador e finalizou o processo, com foco especial na eficiência energética. Atol é o primeiro de uma série de tecnologias para a produção de outros monômeros olefínicos derivados de matéria-prima renovável a serem desenvolvidos em paralelo.

Ainda nesta última semana, a BASF TOTAL Petrochemicals (BTP), JV (60% BASF, 40% Total), anunciou o início das operações do 10° forno de sua planta em Port Arthur, Texas, o que aumenta a capacidade de produção anual de eteno da planta a mais de um milhão de toneladas.

Fonte: MaxiQuim

COMENTÁRIOS

REDES SOCIAIS_