[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]

Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

BASF e oito parceiros pretendem otimizar processos para produtos renováveis

Postado por NEITEC em 30/Mar/2015


Um consórcio de empresas europeias da indústria de processos nas áreas de biotecnologia, recursos renováveis, química, engenharia de processos, fornecimento de equipamentos e pesquisas lançaram recentemente o projeto PRODIAS (PROcessing Diluted Aqueous Systems). O projeto tem o objetivo de desenvolver o potencial de produtos derivados de matéria prima renovável, produzidas através de uma rota biotecnológica capaz de diminuir significativamente os custos de produção, aumentar a produtividade e a eficiência, reduzir o consumo de energia e também acelerar o desenvolvimento do processo.

O consórcio, sob liderança da BASF, inclui a Cargill Haubourdin, da França; a Enviplan e a University of Kaiserslautern, ambas da Alemanha; Imperial College London, da Grã-Bretanha; Alfa Laval, da Suécia; GEA Messo PT e Xendo, ambas da Holanda e a UPM, da Finlândia. Esses parceiros pretendem desenvolver em colaboração tecnologias com foco na redução de custo e eficiência energética para melhorar a eficácia do uso de matérias primas de fontes renováveis no processo de produção.

Usando tecnologias como a fermentação ou biocatálise, na maioria dos casos, os produtos derivados de fontes renováveis atualmente são produzidos como misturas aquosas complexas que precisam ser purificadas posteriormente. Isso inclui a remoção de uma grande quantidade de água, que aumenta o gasto de energia para o processo e diminui a competitividade econômica dos produtos produzidos com recursos renováveis, pois muitas vezes são necessárias muitas etapas de separação consecutivas. Além disso, os métodos tradicionais desenvolvidos para a produção de produtos químicos frequentemente são utilizados sem uma adaptação adequada que permita que o método seja utilizado nos processos biotecnológicos.

PRODIAS pretende abordar estes desafios, através do desenvolvimento e implementação de tecnologias de separação e purificação econômicas. Seu foco é adaptar técnicas de separação para a necessidade de produtos derivados de fontes renováveis e projetar novos sistemas híbridos que combinam vantagens individuais, por exemplo, seletividade e eficiência energética. Os processos estão sujeitos à alterações e otimização, para permitir um processamento mais eficiente, com economia de recursos.

Em parceria com a indústria, a União Europeia irá investir em tecnologias inovadoras para processos sustentáveis. O financiamento da UE para o projeto PRODIAS faz parte do programa Horizon 2020, um programa para pesquisa e inovação, que dispõe de um orçamento de aproximadamente US$ 88 bilhões até 2020. O orçamento total do projeto PRODIAS é de cerca de US$ 15,4 milhões, dos quais a UE contribuirá com cerca de US$ 11 milhões.

Fonte: MaxiQuim

COMENTÁRIOS

REDES SOCIAIS_