[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]

Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

Cardia fecha sua nova planta no Brasil

A empresa de biopolímeros e filmes Cardia Bioplastics vai fechar sua fábrica no Brasil e investir em operações na Ásia/Pacífico. A planta de São Paulo possui cerca de R$1,78 milhões em novos equipamentos e iniciou sua operação em setembro.

Segundo a empresa, é importante agir rapidamente e investir em oportunidades de crescimento estratégicos, de maior valor, como os da região da Ásia. A empresa revisou suas operações de produção antes de concluir a fusão com a Stellar Films Group Pty e decidiu desviar os recursos para as plantas na Austrália, China e Malásia.

A operação brasileira exigiria um investimento significativo em equipamentos e capital de giro. Assim, Cardia Bioplastics assumiu a decisão estratégica de interromper o financiamento de suas operações no Brasil. A empresa não deu detalhes do que vai acontecer com a planta no País.

Cardia Bioplastics é uma empresa de capital aberto com sede em Melbourne, Austrália. A empresa tem uma fusão pendente com Stellar Films Group Pty, uma empresa privada, também com sede em Melbourne. Em 17 de março os acionistas da Cardia Bioplastics votarão sobre a fusão. Após a fusão, a nova empresa planeja levantar cerca de R$7 milhões para financiar o crescimento futuro e fornecer capital de giro.

Cardia Bioplastics pretende continuar atuando no Brasil, mantendo a sua presença no mercado através do fornecimento e distribuição de sua resina compostável Biohybrid. A empresa espera que a demanda no Brasil cresça após a aprovação de novas leis que proíbem a distribuição ou venda de sacolas plásticas aos consumidores, favorecendo a utilização de sacolas de bioplásticos.

Biohybrid é uma mistura de termoplásticos derivados de fontes renováveis, principalmente amido de milho, e resinas tradicionais. Cardia Bioplastics produz oito resinas com diferentes qualidades para aplicações variadas. Stellar Films produz os filmes com a resina compostável da Cardia Bioplastics.

Stellar Films possui clientes em mais de 27 países e opera fábricas em Melbourne, Austrália e Port Klang, Malásia. Também é proprietária de 50,8% das Akronn Indústrias Sdn. Bhd., que fabrica papel revestidos de silicone e filmes em Nilai, Malásia.

Com a fusão, Cardia Bioplastic planeja atender melhor a crescente demanda de clientes da Ásia e espera que a parceria alcance vendas anuais de mais de R$64 milhões, com capacidade de produção ampliada para a produção das resinas Biohybrid e dos filmes compostáveis produzidos pela Stellar Films.

Fonte: MaxiQuim

COMENTÁRIOS

REDES SOCIAIS_