[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]

Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

METabolic Explorer e SK Chemicals anunciam licença exclusiva para bio-PDO

METabolic Explorer (METEX), em vez de produzir o seu bio-PDO (1,3-propanodiol), decidiu licenciar exclusivamente sua tecnologia para SK Chemicals. As empresas assinaram um acordo de licença mundial exclusiva para produção e comercialização do bio-PDO (1,3-propanodiol) utilizando a tecnologia de propriedade da METEX.

Como consequência deste novo projeto, METEX encerra discussões com potenciais parceiros para o PDO e também suas negociações sobre seu projeto industrial na Malásia. Os termos financeiros da transação consistem em um pagamento adiantado, pagamentos subsequentes e royalties.

A tecnologia produz PDO derivado de glicerina bruta, uma matéria-prima renovável. O PDO é utilizado em diversas aplicações, incluindo cosméticos, cuidados pessoais, revestimentos e produção de polímeros, como poliuretanos, por exemplo.

Esta licença exclusiva, que permite que a SK Chemicals possa investir na produção comercial de PDO, é uma etapa importante para a estratégia da SK Chemicals. A empresa tem o objetivo tornar-se líder global no fornecimento de soluções ecológicas e sustentáveis.

METabolic Explorer desenvolve e fornece bioprocessos inovadores para a fabricação de produtos químicos. A empresa desenvolve soluções sustentáveis para substituir petroquímicos, utilizando uma vasta gama de matérias-primas de origem vegetal.

METEX tinha contatos com a Bio-Xcell, a fim de retomar a construção da usina com capacidade de 50 mil toneladas/ano de PDO, em Iskandar, Malásia. METEX suspendeu o projeto no ano passado, quando contratou a empresa de engenharia Technip, para avaliar o custo total do projeto e otimizar o projeto da planta. Technip conclui a avaliação e confirmou que o projeto é economicamente viável, com previsão de construção da usina em dois anos. Em 2013, METEX informou que assinou carta de intenção com dois fabricantes internacionais para vender seu bio-PDO, que será comercializado sob o nome comercial Texerol.

Fonte: MaxiQuim

COMENTÁRIOS

REDES SOCIAIS_