[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]

Novos aditivos para gasolina 100% de fonte renováveis serão produzidos na Alemanha

Em um projeto financiado pelo Ministério Federal Alemão de Educação e Pesquisa (BMBF), a Global Bioenergies pretende produzir pela primeira vez dois aditivos para a gasolina, o isooctano e o ETBE (éter etil-terc- butílico), 100% derivados de fonte renovável. Atualmente, os aditivos para combustíveis, tais como o isooctano, são produzidos a partir de óleo mineral.

Os aditivos para a gasolina derivados de fonte renovável da Global Bioenergies serão produzidos pelo Centro Fraunhofer Center for Chemical-Biotechnological Processes (CBP), em Leuna, na Alemanha. A matéria-prima será o isobuteno obtido a partir de cana-de- açúcar. O CBP irá desenvolver e validar os processos da Global Bioenergies até a escala industrial em Leuna, utilizando os equipamentos disponíveis no CBP.

A matéria-prima derivada de fonte renovável para os aditivos será o hidrocarboneto isobuteno. A planta piloto da Global Bioenergies será a primeira a produzir isobuteno 100% derivado de açúcares, que podem ser obtidos a partir de diferentes fontes renováveis, como resíduos de biomassa florestal e agrícolas. A planta deve começar a produzir ainda em 2016, utilizando um fermentador de 5 mil litros, onde as bactérias convertem o açúcar em hidrocarboneto.

A produção de isooctano a partir de isobuteno é conhecido, o desafio é descobrir como os processos químicos já estabelecidos podem ser transferidos para o material de origem renovável. Por isso, é importante investigar cada parâmetro do processo, a fim de se obter um processo de baixo custo, desde à fase de testes técnicos até atingir a escala piloto. Paralelamente, será fornecido amostra de aproximadamente 100 kg para testes da indústria automobilística.

Os pesquisadores também têm a intenção de examinar o processo de produção do ETBE sintetizado a partir de isobuteno e etanol derivados de fonte renovável. Este aditivo para gasolina deve ser o primeiro produzido utilizando-se o isobuteno.

No Brasil, a Braskem decidiu apostar no ETBE, onde produz o aditivo em sua unidade industrial no Polo de Triunfo, RS, desde 2007; e em duas unidades no Polo de Camaçari, Bahia, desde 2009. O ETBE da Braskem é parcialmente derivado de fonte renovável, pois é obtido pela reação do etanol (43%) com o isobuteno (57%).

Fonte: MaxiQuim

COMENTÁRIOS

REDES SOCIAIS_