[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]

Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

Bayer apresenta suas soluções para a Copa do Mundo

A companhia alemã Bayer MaterialScience destacou em comunicado hoje a sua gama de soluções aplicadas à Copa do Mundo de 2014, que já começará no país em 15 dias. Uma das principais aplicações dos produtos desenvolvidos pelo time da Bayer 04 em Leverkusen, na Alemanha, estará presente em todos os jogos dessa temporada: a Brazuca, a bola de futebol oficial para os jogos dessa Copa. A Bayer MaterialScience tem trabalhado juntamente com a Adidas no desenvolvimento de bolas desde 1986.

Cerca de 600 jogadores profissionais e 30 times em 10 países já testaram a bola, a qual obteve ótimos resultados em diversos tipos de campo, sendo ainda mais estável e redonda, permitindo melhores toques e controle da bola. A camada mais interna da pele é um revestimento adesivo que adere o tecido às camadas acima. O revestimento da bola possui 5 camadas com base em matérias-primas de poliuretano, garantindo superfície particularmente resistente e elástica. No topo, há uma camada de espuma de poliuretano, de espessura de cerca de 1mm, feito de milhões de microesferas preenchidas com gás. Essa espuma é altamente elástica para que a bola, após ter sido deformada com um chute, possa imediatamente voltar à sua forma esférica, garantindo uma trajetória ótima.

As bolas aprovadas pela organização oficial da Copa do Mundo devem pesar entre 420 e 455 gramas, nem mais e nem menos. As bolas antigas, feitas em couro, deixaram de atender esses requisitos, inclusive porque os pedaços de mesmo tamanho que eram costurados para produzir a bola final nunca possuíam o mesmo peso e tinham que ser separados com bastante atenção para garantir que o peso fosse correto no final. Thomas Michaelis, chefe de projeto no desenvolvimento bolas de futebol de alta performance da Bayer MaterialScience, declarou que, quando jogava futebol com bola de couro na rua e chovia, a bola ficava molhada e muito pesada, com risco de machucar os dedos do pé.

Hoje em dia, com o advento de materiais sintéticos, essa diferenciação nos pesos dos pedaços é muito pequena, não sendo necessária uma separação antes, garantindo uma produção mais eficiente assim como uma redução na água absorvida pela bola, afirma Thomas. Os materiais em poliuretano da Bayer MaterialScience que são a chave para garantir a essas bolas o formato perfeito e as propriedades excepcionais.

Não somente nisso, os materiais da Bayer estão presentes nas chuteiras mais resistentes e leves, como o Samba Copa Mundial da Adidas, que possui um material especificamente desenvolvido para a aplicação. Na questão do vestuário, destacam-se roupas íntimas, camisetas e shorts, com função de compressão e portanto se ajustam bastante ao corpo, ao mesmo tempo que garantem uma sensação de liberdade ao jogador que os usa. Esses itens possuem um revestimento especial da Bayer que garante melhor postura e previne uma fatiga prematura.

A Bayer também está presente no segmento de construção civil, como a estrutura do telhado resistente e transparente de 7500 m² feita do policarbonato Makrolon no Estádio Nacional, em Brasília, protegendo tanto da chuva quanto do sol repelindo os raios ultravioletas. Ou mesmo no chão tátil com marcas em relevo que podem guiar torcedores deficientes visuais ao entrar ou sair do estádio.

A Bayer MaterialScience é uma das maiores companhias de polímeros no mundo, focando em matérias poliméricos de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras para produtos do dia-a-dia, possuindo 30 plantas de produção e empregando 14300 pessoas no mundo.

Fonte: MaxiQuim

COMENTÁRIOS

REDES SOCIAIS_