[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]

Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

Ineos e MSM Poly assinam MOU para negocição da marca de resinas Barex

Postado por NEITEC em 24/Jul/2016


A INEOS e a MSM Poly anunciaram a assinatura um Memorando de Entendimento (MOU) para a potencial venda de propriedade intelectual (IP) e suporte de produção relacionado a linha Barex. Este acordo não-vinculativo possibilita a MSM de comprar toda IP da INEOS, como dados físicos específicos, suporte comercial e operacional, além do fornecimento da resina Barex.

Esta resina vem sendo produzida desde 2005 pela INEOS, porém em 2014 a empresa anunciou que fecharia sua unidade de produção, continuando a operar somente até garantir o volume contratado por clientes. A previsão é que o período de produção termine em 2016. A Barex é uma resina do copolímero de acrilato de metil-acrilonitrila (AMAC), que estabeleceu uma forte posição no mercado global de embalagens devido a suas características, como barreira a oxigênio e resistência química, combinado com resistência ao impacto e versatilidade de processamento.

Segundo a INEOS, este MOU possibilita que ambos grupos avancem no processo para garantir aos atuais consumidores da Barex que a marca continuará disponível após a saída da criadora. Espera-se que a transação esteja completa ainda em 2016.

A empresa MSM anunciou que foi procurada por consumidores da Barex para buscar alternativas para o produto após o anúncio da INEOS de interromper a produção da resina, e se organizou para alcançar este objetivo e avançar rapidamente para produção comercial.

A MSM Poly foi criada com o objetivo de produzir AMAC para a indústria mundial de embalagens. A MSM Poly está trabalhando com a Tiarco Chemical na unidade de Greenville, SC que é muito experiente na produção de aditivos de látex e compostos. Ambas estão em negociação para produção de longo prazo de AMAC na unidade, em paralelo com os atuais desenvolvimentos já realizados.

Fonte: MaxiQuim

COMENTÁRIOS

REDES SOCIAIS_