[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]

Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

Lanxess melhora resultados financeiros apesar dos desafios do mercado

Após anunciar a superação das expectativas para o EBITDA (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) no quarto trimestre de 2014, a LANXESS divulgou na semana passada os resultados do ano.

O grupo alemão de especialidades químicas comemora a melhora substancial do resultado operacional e do lucro líquido em um mercado que ele próprio definiu como desafiador e competitivo.

Contra os 735 milhões de euros reportados no ano fiscal de 2013, o EBITDA pré-excepcionais em 2014 teve um aumento 9,9%, fechando o ano em 808 milhões de euros. O lucro líquido deu um salto de 206 milhões de euros, registrando um faturamento de 47 milhões de euros em 2014 contra um prejuízo de 159 milhões em 2013. Tudo isso, alcançado em um cenário de redução em 3,5% do volume de vendas (passando de 8,3 bilhões de euros em 2013 para cerca de 8 bilhões de euros em 2014) principalmente devido aos preços mais baixos dos produtos.

Este desempenho positivo foi atribuído a uma base de custos reduzida, refletindo os primeiros benefícios do programa de realinhamento. Ao mesmo tempo, a LANXESS reduziu significativamente seu endividamento e as obrigações financeiras líquidas (-23,53%), reduziu levemente custos de capital (-1,6%) e aumentou de forma tangível o fluxo de caixa operacional (+410,9%).

Em agosto de 2014, a empresa apresentou um programa de realinhamento de três fases. A primeira fase, praticamente já concluída, foi focada na melhoria da competitividade da estrutura empresarial e administrativa, o que incluiu uma redução de cerca de 1.000 postos de trabalho em todo o mundo, sendo 500 na Alemanha e a maioria na área administrativa e de serviços. Os encargos do realinhamento chegaram a 180 milhões de euros em 2014, mas vão proporcionar poupanças de 120 milhões de euros a partir de 2015 e de 150 milhões a partir de 2016.

No início de novembro de 2014, a LANXESS iniciou a segunda fase do programa de realinhamento, que visa aumentar a sua competitividade operacional. À luz do excesso de capacidade do mercado atual para borrachas sintéticas, a LANXESS está otimizando suas redes de produção de borracha de etileno-propileno-dieno (EPDM) e de borracha de neodímio polibutadieno (Nd-PBR). A empresa prevê uma redução de cerca de 140 posições, bem como os encargos excepcionais de cerca de 55 milhões nesta fase. A partir do final de 2016, ele espera atingir uma poupança anual de cerca de 20 milhões de euros.

A terceira fase do programa, que visa melhorar a competitividade do portfólio de negócios, focará em cooperações horizontais e verticais no negócio de borracha. Esta fase também será implementada em 2015 e 2016.

Segundo Matthias Zachert, presidente do conselho de administração da LANXESS AG, uma vez plenamente beneficiados pelas economias obtidas com o realinhamento, será possível começar a pensar cuidadosamente sobre o crescimento, notadamente com foco nos segmentos de Advanced Intermediates e Performance Chemicals.

O segmento Advanced Intermediates registrou vendas de cerca de 1,6 bilhões de euros em 2014, mais ou menos ao nível do ano anterior. O aumento da demanda impulsionado principalmente pelos produtos agroquímicos foi compensado pela redução dos preços.

As vendas no segmento de Performance Chemicals subiram 2,9% em 2014, para cerca de 2,2 bilhões de euros. Isso ocorreu devido ao aumento no volume de vendas e preços de venda marginalmente mais elevados, que mais do que compensaram os efeitos do câmbio ligeiramente negativos.

Já o segmento de Performance Polymers puxou o desempenho para baixo. As vendas em 2014 diminuíram 8% para cerca de 4,1 bilhões de euros. O resultado foi influenciado tanto pela queda dos preços, quanto pela queda de vendas e taxas de câmbio desfavoráveis.

Para o ano de 2015, a empresa aposta em um mercado desafiador e com volatilidade nos preços das matérias-primas, especialmente para borrachas sintéticas. A empresa prevê uma melhoria gradual na demanda dos setores automotivo e de pneus para o segmento Performance Polymers, mas acredita que as pressões de preços continuarão a impactar a EPDM e a Nd-PBR. O segmento de Advanced Intermediates deve ser afetado pelo crescimento mais lento dos produtos agroquímicos. Já o segmento de Performance Chemicals deve ter uma ligeira melhora na demanda.

O ano de 2015 continuará a ser dominado pelo realinhamento da empresa. A LANXESS prevê um EBITDA estável em relação a 2014, onde as reduções de custos operacionais serão compensadas pelos encargos excepcionais do programa de realinhamento.

Fonte: MaxiQuim

COMENTÁRIOS

REDES SOCIAIS_