[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]

Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

Novamont investe na integração da química e da agricultura para produção de bioquímicos

Postado por NEITEC em 19/Mar/2015


Segundo a visão da empresa italiana Novamont sobre a biotecnologia, as empresas que pretendem investir neste segmento terão que desenvolver novos modelos com base em suas próprias culturas e condições locais. Uma indústria baseada na cana-de-açúcar, por exemplo, pode ser perfeita no Brasil, mas este modelo não pode ser exportado para países com climas, culturas e modelos agrícolas completamente diferentes. Não tem nenhum sentido o transporte dessas matérias primas, cada região precisa construir sua própria economia sustentável.

Novamont possui uma JV denominada Matrica 50:50 com Versalis (parte da ENI, líder mundial na fabricação e comercialização de produtos petroquímicos) que tem o objetivo de desenvolver uma gama de produtos provenientes de matérias primas vegetais utilizando uma cadeia de produção agrícola integrada.

A partir de matérias primas selecionadas com baixos níveis de impacto ambiental, Matrica produz uma série de intermediários inovadores que são implantados em várias indústrias diferentes. A planta da Matrica está localizada em Porto Torres, na Sardenha, Itália. Versalis colaborou com a construção enquanto Novamont desenvolveu e forneceu a tecnologia. A matéria prima do processo de produção desenvolvido é principalmente o óleo de cardo. Os agricultores da região podem colher até 17 toneladas de biomassa por hectare, dos quais 10% de sementes. Depois de extrair o óleo das sementes, o material restante pode ser utilizado por agricultores locais como ração animal.

Em 2014 foram cultivados 4.000 hectares de terra e o objetivo é ampliar para 10 mil hectares, para alimentar a fábrica. Novamont processa o óleo vegetal que serve de matéria prima para muitos intermediários químicos que podem ser utilizados para produção de lubrificantes, graxas, polímeros, cosméticos, herbicidas e outros produtos.

Uma das características importantes deste esquema é que a biorrefinaria é integrada à região e preocupa-se com o meio ambiente e com a comunidade local. A empresa possui uma estreita cooperação com a cooperativa Coldiretti de fazendeiros locais. Segundo a Novamont, agricultores individuais precisam de cooperativa para fazer bons negócios, mostrando aos agricultores que o fornecimento de matéria prima para a indústria química pode ser rentável para eles, que tradicionalmente atendem os mercados de alimentos e alimentos para animais.

Novamont possui novos projetos para este ano, como inaugurar uma nova planta em suas instalações em Vêneto, Itália, onde produzirá 1,4 BDO derivado de fonte renovável.

Fonte: MaxiQuim

COMENTÁRIOS

REDES SOCIAIS_