[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]

Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

PolyOne apresenta sexto ano de crescimento mesmo com vendas em queda

Postado por NEITEC em 25/Mai/2016


A PolyOne, líder Norte Americana no setor de cosméticos, está no rumo certo segundo seus diretores que se reuniram no último dia 12 no encontro anual da empresa em Avon Lake.

O ano de 2015 foi um ano de conquistas para a empresa que pôde consolidar internamente suas estratégias e fortalecer suas lideranças, segundo afirma Robert Patterson CEO da companhia. Os quatro principais pilares da PolyOne são especialização, globalização e a excelência operacional e comercial, e todos foram alcançados no último ano juntamente com o aumento da segurança para os empregados que vivenciaram índices de acidentes reduzidos.

Esse ano a PolyOne, pela sexta vez consecutiva, apresentou um crescimento no setor de EPS, e esse crescimento demonstra que 43% de suas vendas vem de produtos desenvolvidos nos últimos 5 anos. O atual plano de negócios da empresa, o Platinum Vision pretende gerar mais de 80% de lucro operacional em sua especialidade até 2020.

Mesmo com desafios como um euro fraco e a volatilidade do mercado das matérias primas a companhia conseguiu se manter dentro de seus objetivos. O atual presidente da empresa, Patterson, credita Steve Newlin, o antigo CEO, como um dos responsáveis pelo sucesso atual da companhia.

No dia 3 de Maio, Newlin se tornou presidente e CEO da Univar Inc., uma distribuidora global de químicos e a maior distribuidora na Europa sitiada em Downers Grove, e que não compete com a PolyOne a qual tem como seu principal mercado a América do Norte.

Em 2015 os lucros da PolyOne subiram 85% chegando a 145 milhões de dólares, mesmo com as vendas caindo 12%. As ações subiram no balanço final do ano U$S 1,96, o resultado mais alto dos últimos 15 anos.

Já este ano, o primeiro quadrimestre foi bom para a maior companhia de compostos e concentrados de cosméticos e uma das maiores distribuidoras globais de resinas. O lucro subiu 30% para 39 milhões de dólares e o preço do EPS subiu 35% para 46 centavos de dólar, mesmo com as vendas caindo 3% para o valor de U$S 847 milhões em comparação com o mesmo período do ano passado. Na bolsa, começou o ano à 31 dólares por ação, fechando em Maio no valor de U$S 36,56 dólares.

Fonte: MaxiQuim

COMENTÁRIOS

REDES SOCIAIS_