[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]

Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

Refinaria Abreu e Lima inicia processo de partida da unidade de destilação atmosférica

A Refinaria do Nordeste (Rnest) ou Refinaria Abreu e Lima, empreendimento da Petrobras localizado em Ipojuca, Pernambuco, iniciou na quarta-feira (19/11) a primeira etapa para o início de suas operações, com a admissão de gás natural (gas in) na Unidade de Destilação Atmosférica (UDA).

Essa importante etapa foi antecedida pela abertura das operações dos sistemas de utilidades no começo do mês, como a estação de tratamento de águas, de ar comprimido e a primeira torre de resfriamento, para garantir a segurança dos sistemas antes da introdução de hidrocarbonetos.

A entrada do gás na UDA, monitorado a partir do Centro Integrado de Controle da refinaria, tem como objetivo preparar a unidade para a admissão e circulação de petróleo, o que ocorrerá nos próximos dias. Após essa etapa, o acendimento do forno será realizado para que se inicie o processo de destilação (separação) das correntes de gás liquefeito de petróleo (GLP), nafta, diesel e resíduo atmosférico (RAT).

As demais unidades que constituem o primeiro trem da Rnest entrarão em operação na sequência (Unidade de Geração de Hidrogênio, Unidade de Hidrotratamento de Nafta, Unidade de Hidrotratamento de Diesel, Unidade de Coqueamento Retardado e duas Unidades de Tratamento).

O objetivo principal da Refinaria Abreu e Lima será produzir óleo diesel, complementando a oferta desse produto no mercado brasileiro, que depende de importações. Ela será a refinaria da Petrobras com a maior taxa de conversão de petróleo em diesel: a cada 100 barris de petróleo processados, 70 barris de diesel S-10 (com baixo teor de enxofre) serão produzidos.

A Petrobrás destacou que a produção de diesel da Rnest será de 161 mil bpd, o que representa cerca de 17% do volume de diesel consumido no Brasil (base primeiro semestre de 2014).

Fonte: MaxiQuim

COMENTÁRIOS

REDES SOCIAIS_