[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]

Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

Dow anuncia iniciativa que visa encontrar soluções para o lixo marinho

A companhia americana Dow Chemical, gigante do setor de químicos, plásticos e produtos agropecuários, se comprometeu a gastar US$ 2,8 milhões nos próximos dois anos para encontrar soluções referentes ao problema global de detritos e lixo marinho.

A empresa fez o anúncio na sexta-feira, 16 de setembro, durante a conferência Our Ocean Conference, organizada pelo secretário de estado americano, John Kerry, em Washington, DC. A conferência, no total, apresentou 136 novas iniciativas no valor de mais de US$ 5,2 bilhões. A Fundação Tiffany & Co. entrou na conversa para duplicar as áreas marinhas e costeiras protegidas das Bahamas até 2020, parte de um plano de US$ 3,2 milhões em parceria com a Nature Conservancy, a Oceans 5 – projeto que inclui novos e experientes filantropos com o objetivo em comum de proteger os oceanos – e autoridades das Bahamas. Outros nomes de peso, incluindo a Packard, Família Walton e Gordon and Betty Moore prometeram centenas de milhões de dólares para a conservação dos oceanos.

Os números, que incentivaram esses e outras ações, são impressionantes: existem hoje mais de 5,25 trilhões de pedaços e detritos de plástico no oceano. Mais de 269.000 toneladas flutuam na superfície, enquanto 4 bilhões de microfibras plásticas por quilometro quadrado invadem o fundo dos mares.

A iniciativa da Dow se concentrará em duas áreas: cerca de metade do dinheiro prometido irá para o patrocínio de projetos de colaboração, tais como programas-piloto de investigação e de gestão de resíduos do Ocean Conservancy, e apoio a programas educacionais para promover a reciclagem e evitar a disposição do lixo em lugares impróprios. A outra metade irá incentivar programas e pesquisas em curso, tais como o trabalho da fundação Ellen MacArthur, que envolve o desenvolvimento de novas tecnologias de economia circular, enquanto investe também em projetos para dar ao resíduo um “estado final valioso”.

Segundo a Dow, a empresa está se alinhando com a indústria de plásticos global e parceiros chave no reconhecimento dos detritos marinhos e lixo como um problema crítico, e que a empresa está comprometida em colaborar para enfrentar este desafio global com soluções eficazes baseadas na ciência.

Fonte: MaxiQuim

COMENTÁRIOS

REDES SOCIAIS_