[Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ] [Escola de Química - UFRJ]

Núcleo de Estudos Industriais e Tecnológicos - UFRJ

centro de excelência na área de Gestão da Inovação, Inteligência Competitiva,
Prospecção Tecnológica e Monitoramento Tecnológico e Mercadológico

INEOS compra a participação da BASF na Styrolution e cria nova JV com a Solvay

O grupo suíço INEOS anunciou nessa segunda-feira, dia 30 de junho, que pretende adquirir os 50% de participação da BASF na Styrolution, joint venture formada pelas duas empresas. O grupo INEOS pagará 1,1 bilhão de euros (cerca de 1,5 bilhão de dólares) por essa participação da companhia alemã.

O acordo assinado em 2011 incluía uma cláusula de opção de compra em favor da INEOS para adquirir a participação da BASF na Styrolution. A Styrolution foi originalmente criada para conter a maior parte das operações de estirênicos da BASF, que estava sob análise desde 2007.

O acordo ainda deve ser aprovado pelas autoridades antitruste responsáveis, mas espera-se que seja finalizado no último semestre de 2014, até quando a Styrolution continuará operando como uma companhia independente. A companhia se tornará, depois dessa data, uma subsidiária da INEOS.

De acordo com o diretor da INEOS, Jim Ratcliff, a Styrolution cumpriu sua promessa como uma companhia competitiva a nível global, concorrendo com produtores em grande escala da Ásia e do Oriente Médio. Segundo ele ainda, estariam contentes em trazer a Styrolution inteiramente para a família INEOS e, depois da compra, a Styrolution será administrada separadamente como uma empresa autônoma dentro da INEOS, continuando a operar como atualmente.

Em 2013, a Styrolution chegou a 5,8 bilhões de euros (cerca de 7,9 milhões de dólares) em vendas. A companhia emprega aproximadamente 3200 pessoas e opera 17 plantas de produção em 10 países.

Além disso, a INEOS está criando uma joint venture importante com a Solvay no setor de clorovinílicos, a qual será chamada INOVYN. O CEO da Solvay, Jean-Pierre Clamadieu, disse que, graças a esse acordo, eles possuem a oportunidade única de criar um player competitivo ao nível global com ativos de alta qualidade e sinergias substanciais, mais preparado para resistir ao ambiente desafiador na Europa.

Os termos do acordo foram simplificados e ajustados aos recursos, assim como às condições desafiadoras do mercado. A Solvay receberá um pagamento inicial de 150 milhões de euros no fechamento e, além de transferir seus ativos de clorovinílicos para a joint venture, transferirá dívidas no valor de 250 milhões de euros, correspondentes principalmente a pensões e dívidas ambientais.

A Solvay sairá da INOVYN depois de três anos, deixando a INEOS unicamente no controle, quando a Solvay receberá pagamentos adicionais de 250 milhões de euros (com um pagamento mínimo de 75 milhões de euros), cujo valor será ajustado dependendo do desempenho financeiro da INOVYN nesses três anos de joint venture.

A INOVYN terá sede em Londres e vendas proforma de 2013 de mais de 3 bilhões de euros, com ativos em 14 lugares na Bélgica, França, Alemanha, Itália, Noruega, Espanha, Suécia e Reino Unido. A joint venture deve se tornar efetiva para o final do ano, seguindo os desinvestimentos requeridos pela Comissão Europeia. Até a conclusão, Solva e Ineos continuarão a gerir suas companhias separadamente.

Fonte: MaxiQuim

COMENTÁRIOS

REDES SOCIAIS_